O nosso reino é tudo isto, e muito mais...

Roy Tanck's Flickr Widget requires Flash Player 9 or better.

Get this widget at roytanck.com
"A fantasia não é exatamente uma fuga da realidade. É um modo de a entender."
"Fantasy's hardly an escape from reality. It's a way of understanding it" (Lloyd Alexander)

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Tecidos africanos

Se há uma coisa que eu adoro são tecidos em geral e os africanos em particular. Em Angola chamam-lhe pano, em Moçambique são Capulanas.
A minha mãe tem alguns tecidos trazidos de Angola, foram trazidos por nós em 1975 (eu nasci lá e vivi lá 2 anos) outros trazidos por amigos.
Tenho alguns que me foram vendidos por uma amiga, vieram de Moçambique. As cores fortes, preto, amarelo, laranja, verde-escuro, trazem alegria a estes tecidos.
Não são como a nossa chita, com cores fortes, desordenadas e floridos exagerados. São talvez um pouco mais sóbrios. Têm formas quase geométricas e uma combinação exacta.
Adoro as características peculiares destes panos: a influência de plantas e de alguns animais (por exemplo os pontinhos claros em fundo escuro imitam as penas das galinhas de Angola), as cores vivas, formas, tipo do tecido, por não terem avesso. Muitas vezes são abstractos ou quase, podem incluir objectos do quotidiano como dinheiro, ninhos, correntes, cadeados, chapéus de chuva, electrodomésticos, etc.

De modo geral, este tipo de tecidos são conhecidos por capulana, apesar de haver outras denominações. São de origem africana, ainda que a técnica de estampagem seja da Indonésia. Foram muito comercializados na costa oriental africana. Posteriormente, com a colonização europeia, estes tecidos sofreram uma forte influência desta cultura. Hoje são predominantemente encontrados em África. No Brasil, a variação deste tecido é conhecida como canga.
Este género de tecidos têm de ser lavados antes de serem usados, não só para retirar a quantidade enorme de goma com que são vendidos, mas também para evitar que desbotem mais tarde.
Segundo a minha mãe, devem ser lavados à mão e em separado.
Retirar todos os autocolantes. Estes tecidos têm sempre vários certificados e selos de garantia colados em diferentes pontos do tecido como se pode ver nas fotografias.
Colocar as capulanas na máquina de lavar a roupa. A minha mãe põe os tecidos todos juntos independentemente da cor…
Colocar o detergente e o amaciador como fazemos normalmente mas deve ser adicionando um copo de vinagre e umas quatro colheres de sopa de sal grosso ao detergente. O sal e o vinagre fixam as cores e impedem que desbotem em lavagens posteriores e eventualmente tinjam outros tecidos.
Escolher um programa de lavagem a 30ºC e diminuir as rotações de centrifugação para 800rpm.
Sacudir bem, estender e deixar secar ao sol.

(Vestido que me foi oferecido por uma amiga... veio direitinho de Moçambique)
Gosto tanto dos tecidos que tenho, que não consegui ainda cortar nenhum... Por um lado tenho pena pois adorava fazer uma manta em patchwork, mas por outro sinto que estaria a tornar os tecidos originais incompletos… é estranho. De qualquer maneira os tecidos que tenho não seriam suficientes por isso, vão ficando guardados…

São ou não são tãooooooooo lindos?
É uma pena não conhecer ninguém que mos possa trazer de lá... de África....

5 comentários:

Sílvia disse...

Olá...
Ainda ontem arrumei um desses que me trouxeram de Moçambique... mas o meu não tem etiquetas... deve ter sido comprado na feira de lá... eheheh
A madrinha da Francisca, no Verão passado, esteve lá em missão, e este ano foram mais dois amigos meus... se eu soubesse antes...

Elizabete GG disse...

Olá, eu Nasci em Moçambique a 24/08/1974, em Tete.
Vim de lá com 18 meses (tenho uma profunda tristeza por ainda não conseguir ter ido lá).

Eu também adoro os tecidos africanos, mas tal como tu também não conheço ninguém que me possa trazer tecidos de lá.

Bjsss
e
...
Viva MOÇAMBIQUE.

Bjsss
Betinha (http://bloguedabecas2008.blogspot.com/)

PS:. Quanto ao ninho que querias, penso que te posso arranjar, assim que tiver um eu dou-te um toque, ok

Luísa disse...

Olá, vc pode pedir por esse site: http://www.tecidosafricanos.com.br os tecidos vem da Nigéria.

Luísa disse...

Ps. Vc não está no Brasil? Achei que estivesse, pois seu blog é .com.br

Amália Fernandes disse...

Olá, também vim de Angola , não trouxe panos ( aliás não trouxe nada , só mesmo o marido que ainda é o mesmo graças a Deus ) mas tenho muitos que o meu marido trouxe de Moçambique onde se encontra a trabalhar e alguns também de Angola quando lá foi em trabalho . Pois é , mas os paninhos cá estão , são metros e metros , metidos em caixas e guardados, porque quando me decido o que fazer com eles não tenho coragem de os entregar á modista :( A gora como em breve vou passar 2 semanas ao Brasil tou a ver se me encho de coragem para mandar fazer 2 ou 3 vestidos fresquinhos para levar :) vamos lá a ver se consigo . Pronto , já desabafei :) beijinhos e obrigada á menina do blog , gostei muito de ter feito esta descoberta :)

Blog Widget by LinkWithin
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...