O nosso reino é tudo isto, e muito mais...

«Contos de fada são mais do que a verdade. Não porque eles nos dizem que dragões existem, mas porque eles nos dizem que dragões podem ser derrotados.»

~ Neil Gaiman ~

domingo, 3 de março de 2019

Deixar o bom e deixar o ruim...

Alinhar a mente e o coração. 
Quando a mente está cansada de gerir, de amenizar, de tentar viver em paz mas o coração já não consegue. É altura de parar.
Quando o coração está dorido, muito dorido porque a mente já não consegue articular mais formas de viver em paz, é altura de parar.
Por vezes já não conseguimos gerir o coração com a mente e nem a mente com o coração. Há um cansaço... Há um vazio, uma dor imensa...
Durante algum tempo os dois estão em sintonia, não há espaços para vazios, não há espaços para tristezas, para mágoas... Mas muitas vezes, por mais que nos tentemos manter assim, já não dá. Sentimos que já fizemos tudo. O coração não aguenta, a mente não tem mais recursos...
Quando um não está alinhado com o outro, os buracos, as frestas que estão lá (mesmo que pequenas) ganham uma dimensão maior. Doem mais e mais...
Entramos então em conflito connosco próprios, mas afinal o que é que faz sentido e o que é não faz?
Muitas vezes sentimos que o que nos faz/fazia vibrar já perdeu força, há mais lágrimas do que sorrisos, há mais dor do que alegrias. Começamos a evitar. Os sorrisos perdem a graça. A vontade já não é a mesma. Queremos prescindir de tudo, do que nos fazia bem, do que nos fez mal, só queremos mudar: de vida, de lugar, de feitio.
Começamos a pensar qual será o caminho a seguir para fazer cumprir o nosso sonho. 
Começamos a pensar que não são só dos caminhos pedregosos que temos que evitar, às vezes os mais ajardinados, os mais alegres, os mais cheirosos também devem ser trocados...
Dizem que temos que seguir sempre o que nos faz bem, mas como podemos saber qual o caminho que nos faz melhor? Se é o que parece mais colorido ou o que está envolto em nevoeiro? As aparências iludem, todos sabemos isso...
Temos que ter uma fé maior do que os medos e manter uma esperança firme quando as dúvidas aparecem. Para isso tens que te conhecer bem. Sente. Sentes-te bem neste caminho? Preferes um outro mais custoso mas cuja recompensa será talvez maior? Preferes este que te parece mais fácil mas cujos dias parecem intermináveis?

Há alturas em que devemos sem medo, deixar entrar ou sair da nossa vida o que nos faz bem e o que não... Cria o teu próprio caminho.
Está na hora de  crescer.
E neste momento olho para lua com o olhar de quem sabe que ela me conhece bem, já me viu de lá de cima ultrapassar tantas coisas...

Sem comentários:

Blog Widget by LinkWithin
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...